AssociaseCapa1

AcecJuridicaCapa

TabelaEmolumentosCapa

Foram 132.855 notificações em 3 meses Dados da Associação dos Notários
De fevereiro a abril de 2020, os cartórios fizeram mais comunicações de atividades suspeitas ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) do que os bancos em todo o ano de 2019.
Foram 132.855 operações frente a 118.532 das instituições bancárias, segmento que mais reportou atos ao órgão durante todo o ano passado. O setor é, desde fevereiro, quando se tornou ente obrigado, aquele que mais reporta transações suspeitas. Os dados são da Anoreg (Associação dos Notários e Registradores do Brasil).
Em março, 54.308 ações suspeitas foram comunicadas pelos cartórios ao Coaf, registrando 1 aumento de 44% em relação ao mês de fevereiro. Já em abril, quando a pandemia se disseminou no Brasil, foram 41.056 atos comunicados, uma queda de 24% na comparação com o mês anterior.
De acordo com os dados da Anoreg, bancos, seguradoras cooperativas de crédito são os segmentos que aparecem em seguida no número de operações reportadas em fevereiro e março.
No 1º mês comparativo, foram 14.011, 6.426 e 3.383, respectivamente. Em março, as comunicações somaram 15.485, 5.902 e 4.271. Em abril, o mercado de valores mobiliários ultrapassou as cooperativas, chegando a 3.200 reportes.
“Por via oblíqua, são favorecidas as atividades de infratores, fora do alcance da fiscalização das corregedorias gerais de Justiça e do CNJ, e sem sujeição à legislação da prevenção à lavagem de dinheiro e do financiamento do terrorismo regulada pelo Coaf”, explica o presidente da Anoreg, Claudio Marçal Freire.
Fonte: Poder 360
 
Nota de responsabilidade: As informações aqui veiculadas têm intuito meramente informativo e reportam-se às fontes indicadas. O SINDINOTARS não assume qualquer responsabilidade pelo teor do que aqui é veiculado. Qualquer dúvida, o consulente deverá consultar as fontes indicadas.